Páginas

domingo, 19 de maio de 2013

Amizade dupla face

Preciso confessar que já faz muito tempo que estou com esse texto entalado na garganta. Ele vêm me pinicando faz tempo, mas eu simplesmente me fiz acreditar que se eu fingisse que ele não existisse, tudo daria certo no final. 
Pois é, falhou. 
Pelo título talvez você já tenha uma ideia do que está acontecendo, e se não tem, só digo que não tem nada a ver com uma amiga falsa, mas sim um amigo que não é só mais um amigo. Calma, vamos por partes.
É até engraçado porque tudo começou de um jeito muito rápido. Do modo mais rápido possível. E a ideia era começar em partes, com calma, "casualmente" e com frases do tipo "vamos deixar rolar" (Insira sua melhor risada irônica aqui). Mas, não foi bem assim. Talvez nunca seja. Não sei, sou nova nisso. Tudo começou com uma amizade que foi ficando cada vez mais forte, mas ninguém nunca colocou fé nela. Começou com se falar na escola e no chat todos os dias sobre qualquer coisa. Com ele eu falava sobre tudo e vice-versa. Ele falava sobre a menina que ele estava afim e eu falava do menino que me motivava a escrever milhões de textos aqui no blog e no meu caderninho de estante. E assim as coisas iam, um ajudando o outro, e os dois na mesma casa do "amor não correspondido". E foi assim que o problema começou. É, eu estou chamando isso de problema, sim, me deixe. Começa com aquela coisa de "ah, vai ser só uma vez, um único beijo, o que pode dar errado, né?", e eu digo: tudo.
Tudo começa em uma festa, não é? Na minha opinião pelo menos sim, e pelo menos na metade de todos os filmes produzidos no mundo também. De repente, um simples beijo naquela festa virou uma porta sem saída. E dessa porta, várias outras foram se abrindo com uma plaquinha grudada em cada uma delas: "beijo 2", "beijo 3", "beijo tudo-está-indo-muito-rápido-e-vocês-são-só-amigos-o que-você-pensa-que-está-fazendo-4", "beijo 5-em-menos-de-um-tempo-significante" e assim, foi indo. 
É engraçado porque as frases "nada vai mudar", "somos só amigos, né" e coisas do tipo sempre estavam inclusas, mas as direções que estavam sendo tomadas eram opostas. De repente, músicas ganharam sentido, e de repente, um sentimento de uma parte foi aparecendo. E eu juro com os pés juntos que não é meu e nem da minha parte. E o meu talvez, continue com algum outro menino da minha cabeça ou simplesmente não existe para esse meu amigo. É difícil dizer o que realmente está acontecendo porque eu não faço a miníma ideia. Eu só queria que tudo voltasse ao normal, mas eu não consigo fazer isso por medo de acabar a amizade, então eu simplesmente cedo e ceder em uma situação como essa não é bom porque e se parecer que eu estou dando "falsas esperanças" ou coisa do tipo? 
Não tem nenhuma música do John Mayer ou da Taylor que me ajudem a sair dessa. E sim, nem da Taylor Swift! E não há vontade nenhuma de falar isso com alguma das minhas amigas agora porque não estou afim de ouvir um julgamento negativo para o final de cada frase que eu digo.
E eu continuo na mesma, sem saber o que fazer, sem saber falar não e sem saber como eu me sinto sobre isso.
E se esse texto não tiver um final, não me culpe, é que eu simplesmente não sei dar um final para ele agora ou para a minha situação.