Páginas

terça-feira, 25 de setembro de 2012

O amor merece uma segunda chance?


Oi, gente!
Bom, esses dias, eu percebi que depois de um certo tempo, meio ferida de um "relacionamento" passado, comecei a olhar diferente para as pessoas, de uma maneira mais aberta, e de repente, um sentimento novo começou a despertar dentro de mim, novamente. No começo, é sempre meio esquisito de novo, não é? Porque de novo, o amor não tem nada. Eu sinceramente o achava meio malvado ás vezes, e também dolorido, talvez era porque a pessoa escolhida não era certa, e assim, tudo desandou.
Porém, vou ter que usar aquela frase clichê "há mais ou menos 7 bilhões de pessoas no mundo, e blá blá blá", e é verdade realmente há mais do que eu e você, e bem, ele ou ela vivendo no planeta Terra, eu juro. Só é preciso abrir os olhos, ou respirar fundo, fazer uma mudança em si mesmo, seja psicológica ou não, que talvez, você comece a perceber.
Bom, no meu caso, demorou. Demorou muito, demorou tempo demais. Diversos sentimentos ruins foram usados durante essa demora toda quando na verdade, não precisavam ter aparecido em parte alguma da minha vida. Não era preciso ficar triste por alguém desmerecido, ou alguém que não te nota, não vale a pena o desgaste todo, afinal, nesse meio tempo, alguém deveria estar te notando não é? Ou alguém que merecia sua atenção e você nem percebia...
Porém, também, é complicado prestar atenção nos outros e no resto do mundo quando você realmente gosta de alguém, não da para negar. Mas, essa hora chega. E chegou. Eu fiquei feliz em notar uma pessoa nova, uma pessoa que eu ainda não descobri direito como funciona, mas desse pouquinho que eu já conhecia, me fez despertar o algo novo, e foi legal. Mesmo com o receio de se machucar novamente, é preciso não ter medo, não é? Não estou falando de mergulhar de cabeça e puf! Mas, sim de pequenos passos, conversas, risadas... Isso já não te faz se sentir melhor? Bem, pra mim faz, e é isso que estou começando a fazer. O engraçado é que essa pessoa não é nova na minha vida, mas mesmo assim, parece que a acabei de conhecer!
Talvez todo mundo mereça uma segunda chance, até esse sentimento esquisito que chamamos de amor.



Enfim, beijos!